logo

Contato rápido


Seu nome*

Seu e-mail*

Sua mensagem*

[recaptcha class:captcha]


Conecte-se com o Sintesu!

Rua Padre Salvador, 808 – Santa Cruz
Guarapuava – PR

Fone: (42) 3622-8418

Sindicatos do funcionalismo paranaense realizam ato em defesa da vida e contra o congelamento de salários e direitos
17052
post-template-default,single,single-post,postid-17052,single-format-standard,bridge-core-1.0.6,ajax_fade,page_not_loaded,,side_menu_slide_from_right,qode-theme-ver-18.2,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive

Sindicatos do funcionalismo paranaense realizam ato em defesa da vida e contra o congelamento de salários e direitos

Sindicatos do funcionalismo paranaense realizam ato em defesa da vida e contra o congelamento de salários e direitos

De forma unilateral e, aproveitando o momento de crise causada pela pandemia do novo Coronavírus, o governo estadual decidiu encaminhar para a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) um projeto para congelar salários, progressões, promoções e outros direitos dos servidores públicos do Paraná até o final de 2021. Cabe ressaltar que a defasagem salarial dos servidores, devido a não reposição da inflação desde 2016, já se aproxima de 20%.

O Sintesu participou na manhã do dia 26 de Agosto de um ato simbólico, organizado pelo Fórum das Entidades Sindicais, para pressionar o governo de Ratinho Jr a descongelar as carreiras e a data-base das servidoras e servidores paranaenses.

A proposta de Ratinho Jr era uma perversidade, especialmente contra quem está na linha de frente do combate à pandemia, arriscando a própria vida para manter a população em segurança, bem como outras categorias, como a educação que tem trabalhado muito para manter as atividades em dia, de forma remota. Assim como os diversos sindicatos de servidores públicos do Paraná, o Sintesu entende que é hora de valorizar todos os profissionais dos serviços públicos que, mesmo neste momento delicado, permanecem em suas atividades seja na linha de frente ao combate a pandemia, seja de forma remota, permitindo que o todos os cidadãos possam usufruir dos bens que só o serviço público é capaz de proporcionar.

O objetivo é conscientizar o governador a liberar do pagamento das promoções e das progressões a quem já adquiriu o direito .

O intuito do governo era votar na próxima semana o projeto. Por esta razão, o FES se mobilizou para que o governo volte atrás. Por isso, as entidades sindicais e as categorias precisam continuar pressionando, até que o projeto seja definitivamente engavetado.

No ato, as entidades sindicais também protestaram contra medidas dos governos (estadual e municipais) que colocam a vida das servidoras, dos servidores e da população em risco.

Por medida de segurança sanitária, o ato contou com a presença apenas de representantes das entidades sindicais, que cumpriram protocolos severos de distanciamento e uso de equipamentos de proteção e de álcool gel.
Para a próxima segunda-feira (31), está prevista uma reunião com o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Hussein Bakri.

 

Reunião com o Governo – Ainda nesta quarta, no período da tarde, os presidentes do Sintesu (Unicentro) e do Sinteemar (UEM), Danny Jessé Nascimento e José Maria Marques, respectivamente, juntamente com o economista Cid Cordeiro, representaram o FES em reunião na Casa Civil do Governo do Paraná, que foi representada por João Luiz Giona Júnior.

Na oportunidade, foram debatidos os números orçamentários e financeiros do governo e as previsões para 2020 e 2021. Os representantes do FES se comprometeram em apresentar propostas ao Governo, que demonstrem a possibilidade de viabilidade de pagamento das progressões e promoções, bem como da data-base.

Com informações do Sindsaúde.

No Comments

Post A Comment