logo

Contato rápido


    Seu nome*

    Seu e-mail*

    Sua mensagem*

    [recaptcha class:captcha]


    Conecte-se com o Sintesu!

    Rua Padre Salvador, 808 – Santa Cruz
    Guarapuava – PR

    Fone: (42) 3622-8418

    O que seria da vacinação no Brasil sem os serviços e servidores públicos?

    O que seria da vacinação no Brasil sem os serviços e servidores públicos?

    O Brasil terminou janeiro de 2022 com 150 milhões de pessoas totalmente imunizadas, o que correspondia a 70,5% da população – índice superior aos 64,1% dos Estados Unidos, por exemplo.

    Apesar do boicote inicial do governo de Jair Bolsonaro, e da insistência dele e de seus seguidores no discurso anti-vacina (embora por aqui grande parte deles tenha se vacinado), a imunização avançou no Brasil porque aqui temos o nosso Sistema Único de Saúde (SUS), o mais abrangente do sistema de atendimento universal à população, que já estava preparado para atender todas e todos com agilidade. 💪

    ❗ E se o governo não tivesse negado, por dezenas de vezes, a compra de vacinas logo que elas ficaram disponíveis, poderíamos estar em um estágio ainda mais avançado, porque o SUS estava preparado para atender uma quantidade ainda maior de brasileiros por dia.

    ➡ Mesmo sendo um país muito mais rico que o Brasil (e sem um negacionista na presidência), os Estados Unidos têm avançado menos que nós em sua imunização por não terem um sistema como o SUS, que facilita a distribuição e aplicação de vacinas mesmo nos lugares mais distantes.

    🤝 Além disso, por aqui servidores públicos estão atuando em diversas etapas da cadeia de produção das vacinas no Brasil, e também nas universidades, pesquisando sobre o tema e publicando artigos que mostram a eficácia da vacinação (o que serve de estímulo para que pessoas deixem de acreditar nas fake news dos negacionistas).

    ✊ Se o Brasil, após muita dificuldade, passou a enxergar uma perspectiva de acabar com a pandemia, certamente sem os serviços e os servidores públicos nossa situação teria sido muito mais trágica!

    No Comments

    Post A Comment