Ultimas Notícias

FES reivindica data-base ao líder do governo na Alep Nota Técnica do STF conclui que o Governo do Paraná tem condições financeiras para pagar o retroativo da ação judicial da Data Base Querido Sindicalizado…

Por Victor Andrey do Prado, com supervisão de Danny Jessé Nascimento.

Michel Temer aparecendo no SBT para tentar mostrar ao telespectador brasileiro que a reforma da Previdência é algo bom, foi de fato o maior ato de vergonha em rede nacional para abrir 2018 com chave de ouro. A estratégia um tanto que desesperadora de fazer com que um grande comunicador (Silvio Santos) mostre os benefícios da reforma, ganhou manchetes em diversos sites, e claro, ficou nos trending topics do Twitter. Toda propaganda já custou um montante de 120 milhões aos cofres públicos e mesmo assim o povo brasileiro não consegue engolir e aprovar algo que irá prejudicar toda a sociedade.

O carnaval foi um grande exemplo de protesto. Em diversas cidades, escolas de sambas e trios elétricos mostravam sua indignação, como é o caso do desfile da Paraíso da Tuiuti, que desfilou no sambódromo do Rio de Janeiro na noite de domingo (11). O enredo “Meu Deus, Meu Deus, Está Extinta a Escravidão?”, trouxe uma grande crítica política, fazendo uma linha do tempo na história do Brasil à luz dos explorados e chegando até os dias atuais. Algo que chamou bastante atenção foi um homem com faixa presidencial fazendo uma espécie de alusão à Michel Temer, intitulado “vampiro neoliberalista”.

Os “manifestoches”, passistas fantasiados de patos que mostrava a manipulação sofrida pela mídia, trouxe um tom de constrangimento no camarote de transmissão da Rede Globo, onde Fátima Bernardes, Alex Escobar e Milton Cunha fizeram pouquíssimos comentários sobre o desfile.

PREVIDÊNCIA – Não é de hoje que a aposentadoria dos trabalhadores é atacada. Gestões anteriores também tomaram medidas para tentar modificá-la. Porém, o governo atual está fazendo isso de forma drástica. O discurso repassado por eles sobre o déficit da Previdência é algo simples de desmascarar, pois omite informações dos valores reais que compõem o sistema e, ainda, não leva em conta diversos relatórios e estudos que mostram a Previdência Social não tem déficit, como é o caso da CPI do Senado.

Vale ressaltar que, enquanto propõe que o brasileiro trabalhe por mais tempo para se aposentar, números levantados pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) mostra que a reforma da Previdência ignora mais de R$ 427 bilhões de dívidas de empresas ao INSS, que equivale a três vezes o chamado déficit da Previdência.

O que se nota é que a reforma da Previdência ataca, principalmente, o direito dos trabalhadores, que acabam pagando a conta da má gestão e da corrupção que assola o nosso país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *