Ultimas Notícias

Parceria SOLARIS x SINTESU Nota de Falecimento – Maria Aparecida Morozini DATA-BASE: A (DES)ENCANTADA SITUAÇÃO DAS DEMANDAS

Sem respostas do governo, várias categorias já aprovaram estado de greve

Com informações do site do FES

As lideranças do Fórum das Entidades Sindicais (FES) intensificaram, nesta quarta-feira (29), a cobrança pelo pagamento da reposição salarial dos servidores públicos do estado. A movimentação aconteceu durante todo o dia na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

Um documento foi entregue aos deputados (leia aqui) apresentando dados das finanças do estado. O ofício demonstra que a revisão salarial do funcionalismo pode ser concedida e não oferece riscos às contas públicas.

“Agora é uma decisão política do governador. Nós já debatemos todos os números, todos os dados, e está comprovado que é possível pagar a data-base”, explica o integrante da coordenação do FES, Ricardo Carvalho.

De acordo com o FES, o debate técnico foi esgotado e, para solução do impasse, os trabalhadores exigem uma reunião com o governador Ratinho Júnior (PSD). A categoria não abre mão da reposição de 4,94%, referente a inflação dos últimos 12 meses, e dos atrasados.

Nos últimos 30 dias foram realizadas seis reuniões entre representantes dos sindicatos, administração estadual e deputados. Segundo o FES, a Secretaria da Fazenda (Sefa) tem utilizado argumentos pessimistas sobre as contas públicas.

Devido a falta de respostas concretas, várias categorias já aprovaram estado de greve. É o caso dos professores e funcionários de escolas estaduais e dos servidores das universidades estaduais de Maringá e Ponta Grossa. Outras categorias agendaram assembleias nos próximos dias para deliberar sobre o assunto.

Ratinho prometeu

No último 29 de abril, mais de 10 mil servidores públicos lotaram as ruas de Curitiba para cobrar o pagamento da data-base. Dias antes, Ratinho Junior havia declarado à imprensa que não concederia reposição ao funcionalismo neste ano. A declaração contrariava promessa de campanha do governador e, diante do protesto, ele recuou e aceitou negociar com os trabalhadores.

Levantamento do FES, com base em relatórios da Sefa, revela também que Ratinho Junior assumiu a administração com o menor índice de gasto com pessoal dos últimos 10 anos. Outro dado favorável foi divulgado pela imprensa oficial do governo no final de março. O Paraná lidera o ranking nacional de saúde financeira.

O funcionalismo estadual está sem reposição desde 2016 e as perdas acumuladas já passam de 17%. De acordo com o economista do FES, Cid Cordeiro, por ano os funcionários estão perdendo o equivalente a dois meses de salário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.