logo

Contato rápido


Seu nome*

Seu e-mail*

Sua mensagem*


Conecte-se com o Sintesu!

Rua Padre Salvador, 808 – Santa Cruz
Guarapuava – PR

Fone: (42) 3622-8418

Sintesu | Sintesu decide paralisar atividades no dia 29 de abril
15643
post-template-default,single,single-post,postid-15643,single-format-gallery,ajax_fade,page_not_loaded,,side_menu_slide_from_right,qode-theme-ver-9.4.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.5,vc_responsive

Sintesu decide paralisar atividades no dia 29 de abril

Sintesu decide paralisar atividades no dia 29 de abril

Durante assembleia realizada na quinta-feira (14), em Irati (pela manhã) e em Guarapuava (à tarde) o Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Superior da Unicentro (Sintesu) deliberou, por unanimidade, por paralisar as atividades no dia 29 de abril, para marcar a data de um ano do confronto que ocorreu no Centro Cívico, em Curitiba, onde diversas pessoas ficaram feridas. Os servidores irão participar do ato unificado do funcionalismo público na capital do Estado.

O presidente do Sintesu, Danny Jessé Nascimento, informou que o Sintesu irá disponibilizar transporte para aqueles que tiverem interesse em participar do ato. Os sindicalizados também receberão diárias para alimentação. As inscrições devem ser feitas pelo e-mail sintesu@hotmail.com.

“29 de abril representa um marco para o funcionalismo público. É uma data que ficará marcada como uma afronta à democracia. É por isso, e também por toda a violência que os servidores públicos passaram, que ressaltamos a importância da paralisação e também do ato que ocorrerá em Curitiba”, afirmou o presidente do Sintesu, lembrando, em seguida, que naquela oportunidade os trabalhadores protestavam contra o projeto que promoveu alterações na previdência pública.

Outro ponto de destaque é que pela primeira vez o Sintesu realizou assembleia em dois locais, em Irati e Guarapuava. “Iniciamos uma nova forma de administração. Mais participativa. E isso nos leva a realizar assembleias e reuniões em vários locais, propiciando possibilidade maior de participação dos sindicalizados”, explicou Danny.

 

CUSTEIO – Durante a assembleia, a diretoria do Sintesu também repassou informações sobre pontos importantes que dizem respeito aos servidores e às universidades. Danny explicou que as instituições estaduais de ensino superior (IEES), ao longo dos últimos anos, vêm enfrentando sérios problemas por conta do cortes orçamentários e de contingenciamento aplicado pelo Governo.

Para a 2016, a Unicentro possui repasse programado de apenas R$ 9,5 milhões, valor insuficiente para a manutenção da Universidade e, para piorar, atualmente com contingenciamento de 18% desse valor. A Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (Apiesp) informou que está buscando sanar o problema e nos próximos dias espera conseguir uma suplementação para as IEES.

 

SAS – Quanto ao novo modelo de saúde, foi explicado na reunião que o Termo de Referência já foi finalizado, mas ainda não foi publicado o edital do Banco Mundial. Assim que saia o edital, o FES será chamado para uma reunião. O governo já avisou que no novo modelo para o atendimento à saúde, o funcionalismo vai ter que contribuir para a sustentação financeira do sistema. A situação de desconhecimento do novo modelo do SAS tem preocupado os sindicatos.

 

PREVIDÊNCIA – Após aprovação da lei 18.469, até agora, só com as mudanças da lei, o Fundo Previdenciário (FP) dos servidores já encolheu mais de R$ 1,7 bilhões. Outros pontos que também afetam o sistema é que o Governo trouxe mais de 30 mil servidores que o Fundo Financeiro deveria pagar, por meio do Caixa do Estado, o que gerou uma despesa adicional para o FP de R$ 140 milhões, sendo que os aposentados que vieram para o FP jamais contribuíram para esse Fundo.

A taxa de administração também contribui para a diminuição do FP, pois o Governo não está realizando este pagamento, o que fez com que o Fundo deixe de receber R$ 89 milhões.

Até abril do ano passado os aposentados não precisavam contribuir. Com a mudança na lei, tudo o que ultrapassa o teto do INSS (R$ 4,7 mil) recebe o desconto de 11%. O problema é que o Estado se nega a fazer a contribuição patronal dessa cobrança, o que contabiliza mais R$ 130 milhões que deixaram de ir para o FP.

 

CLUBE DE BENEFÍCIOS – Foi apresentado oficialmente aos sindicalizados o modelo do Clube de Benefícios da entidade, que contará também com o cartão do sindicalizado. O Programa visa agregar um rol de empresas parceiras para gerar benefícios aos sindicalizados e deve entrar em funcionamento já nos próximos meses. “O clube de benefícios é uma forma do sindicalizado ter retorno daquilo que investe no sindicato. Isso por meio de uma gama de parcerias, como, por exemplo, farmácias, postos de combustível, cinema, escola de inglês, hotéis, dentre outros”, explicou Danny, ressaltando que o Clube funcionará em Guarapuava e Irati, mas também contará com parceiros em outras cidades. “Também buscamos parceiros em Curitiba. Inclusive já estamos concluindo parceria com hotel na capital, que beneficiará os sindicalizados”, concluiu.

 

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2015 – O último assunto foi a apresentação da prestação contas de 2015 do sindicato, que foi aprovada por unanimidade. Na prestação foi apresentado o superávit de R$ 96.260,37 durante o ano de 2015. O presidente do Sintesu destacou que a prestação de contas completa será disponibilizada no novo site do Sintesu (www.sintesu.org.br) que entrará no ar na próxima semana.

Por fim, o presidente destacou que parte desse superávit será utilizado em palestras e/ou cursos para os sindicalizados, fazendo valer o estatuto da entidade, que prevê essa possibilidade.

Nenhum comentário

Envie um comentário